Destaques

Distribuídos cerca de 1 milhão de mosquiteiros no Huambo

01-09-2015

Setecentos e 18.000 mosquiteiros impregnados com insecticida de longa duração foram distribuídos, de forma gratuita, em 10 dos 11 municípios da província do Huambo, de Outubro de 2014 a Julho de 2015, no âmbito da campanha de luta contra à malária.

A informação foi prestada pelo director local da Saúde, Frederico Juliana, no acto de lançamento da campanha de comunicação para a promoção do uso de mosquiteiros, a decorrer até Setembro de 2016.

A fonte referiu que a distribuição dos mosqueteiros permitiu que cerca de 01 milhão e 300 mil pessoas, entre elas 177 mil crianças e 21 mil grávidas, se protegessem das picadas dos mosquitos causadores da malária

Frederico Juliana informou que o Governo provincial, em parceria com organização não-governamental Population Services International (PSI), está neste momento a levar acabo uma campanha de distribuição de mosquiteiros no município da Caála, onde se pretende proteger contra a malária cerca de 260 mil pessoas.

O dirigente lamentou, no entanto, o facto de alguns cidadãos usarem as redes mosquiteiras para a pesca, vedação de hortas, caça e outros fins, menos para se cobrirem enquanto dormem.

Por este motivo, o programa de combate á malária prevê, além da distribuição gratuita de mosquiteiros, testes de diagnóstico rápido e medicamentos, a capacitação de mais de 200 activistas sobre a promoção e sensibilização da população, para fazer o uso correcto e constante do mosquiteiro.
Apelou as entidades religiosas, autoridades tradicionais, professores, encarregados de educação, chefes das repartições da saúde, pontos focais, jornalistas e todos os outros actores sociais no sentido de mobilizarem a população acerca da importância do uso do mosquiteiro, corrigindo as atitudes negativas de algumas famílias que fazem do mosquiteiro um instrumento para pesca.

O director da Saúde na província do Huambo sublinhou que a malária é um grande problema de saúde pública nos países em via de desenvolvimento, de modo especial para o continente africano, onde milhares de pessoas são afectadas anualmente pela doença, provocado ainda a morte de muitas pessoas, com realce para crianças menores de cinco anos e grávidas.

A província do Huambo, segundo o responsável, tem registado nos últimos 05 anos melhorias significativas quanto ao combate da malária, reduzindo, deste modo, os índices de mortalidade nas crianças menores de 05 anos de idade e grávidas, como sendo as franjas mais vulneráveis para contraírem a doença.

A título de exemplo, citou que em 2010 tinham sido diagnósticos mais de 700 mil casos de malária, que resultaram em 80 óbitos, ao passo que 2014 as incidências baixaram para 60 mil casos, que corresponde a 93% de diminuição em termos de doentes, com 17 mortes provocadas pela doença.

Fonte: ANGOP